Radicalismo na Equoterapia: Como assim?

Olá!Percebo que o radicalismo é uma postura comum em muitas áreas.
Na Equoterapia tenho observado uma certa disputa de razão sobre se devemos ou não fazer
atividades lúdicas com materiais em sessões de Equoterapia ou não fazer as atividades,
valendo-se unicamente do movimento tridimensional do cavalo.
Acho sensacional pensarmos que ambos tem razão e ambos não tem razão, risos.
Razão nos argumentos das suas teorias e totalmente sem noção em achar que apenas o seu
ponto de vista é correto e que o outro está 100% equivocado.
Sim, ficar brigando por razão nas extremidades não levam a lugar nenhum.
Temos que debater conhecimento, estudar, pesquisar, ouvir o outro, observar resultados e
principalmente, ter sensibilidade e maturidade para acolher o que o SEU praticante necessita,
e não a sua vaidade.
Precisamos julgar menos nossos colegas de trabalho. Não temos condições de saber por uma
foto qual foi o motivo que levou aquele profissional a trabalhar de determinada maneira ou
com algum material.
São tantas as realidades no nosso país tão grande e com tamanha diversidade.
Quando ficamos enterrados em uma teoria e não atendemos o nosso praticante de acordo
com sua necessidade e sua personalidade, o maior prejudicado será o praticante e a nossa
Equoterapia.
Essa é a mensagem carinhosa que gostaria de deixar para vocês.
Vamos julgar menos. Se você não é daquela equipe e não conhece o praticante não tome
conclusões precipitadas. Somente o profissional que avaliou o seu praticante sabe dizer
porque adota algumas estratégias.
A Equoterapia é muito maior do que ficar nas extremidades. Experimente sair um pouco e
passear nas inúmeras possibilidades de atendimento. 

Carinhoso abraço,

Silvana Quintino♥Ω